Páginas

quarta-feira, 13 de agosto de 2014

Dar ou não dar a nova vacina contra o Meningococo B?

Na última consulta do Pediatra (sim, os meus filhos vão ao Pediatra), ele recomendou-nos a toma da vacina contra o meningococo B, a Bexsero (assim se chama formulação disponível em Portugal). Tratando-se de uma vacina extra-plano, ou seja, não incluída no Plano Nacional de Vacinação (PNV), está na mão dos pais decidir se querem ou não dar esta vacina aos seus filhos. Talvez por isso, tenho recebido algumas mensagens a perguntar se eu aconselho ou não a toma desta vacina

[fonte: novartisvaccines.com]

Antes demais convém esclarecer que, (tal como acontecia nas gastroenterites), as meningites são causadas por muitos agentes diferentes. As meningites são inflamações das meninges (uns folhetos que recobrem o cérebro e a espinal medula) provocadas por vírus e bactérias. Entre estas últimas, encontra-se a Neisseria meningitidis (ou meningococo) que, por sua vez, tem vários serotipos - A, B, C, Y, W135 e X1.

As meningites por meningococo são responsáveis pela forma mais agressiva desta doença. Ele circula entre nós no trato respiratório dos seres humanos, podendo passar de um portador assintomático para uma criança, deixando-a doente. A forma mais eficaz de controlo da infecção meningocócica é a vacinação. Na Europa, predominam o meningococo B e o C. Para este último, nós já tínhamos a famosa Meningitec, incluída no PNV desde 2006. Muito à custa desta vacina, a chamada doença meningocócica tem diminuído de frequência (0,8 por 100 mil habitantes em 2011). Ainda assim, leva à morte em 5% a 14% dos casos, sendo que 11 a 19% dos doentes sobrevivem com alguma sequela a longo prazo - sequelas neurológicas, perda de audição, alterações cognitivas, cicatrizes cutâneas e amputações. Também à custa da vacina contra a estirpe C. a percentagem de meningococos do tipo B cresceu nos últimos anos, sendo actualmente 72% dos N. meningitidis isolados. É neste contexto que agora surge a Bexsero, para prevenir estes meningococos do tipo B.

[fonte: soc.ucsb.edu]

A vacina testada em laboratório e ensaios clínicos e demonstrou ser imunogénica e segura. Pode ser administrada em simultâneo com as outras vacinas do PNV e também com a pneumocócica. São esperados efeitos secundários, como febre (10 a 15%) e reacções locais (não mais que as vacinas do costume). O esquema de vacinação proposto é o seguinte:

[fonte: spp.pt]

Agora, as más notícias. A Bexsero tem um PVP de €98,36! Os menores de 6 meses de idade, que são os que mais beneficiam da vacina, precisam de fazer 3 doses mais uma de reforço, o que chega a quase €400! Mas de facto esta vacina serve para evitar uma doença realmente grave que pode matar ou deixar graves sequelas nas crianças. Inclusivamente, o presidente da Direcção Geral de Saúde já admitiu que estão a pensar acrescentá-la ao Plano Nacional de Vacinação. Quando? No dia 1 de Junho, a TSF dizia «dentro de meses, a Direcção-Geral de Saúde vai apresentar uma revisão do calendário nacional de vacinação», mas até hoje ainda não saiu nada... Até novas notícias, acho que os pais que tiverem condições financeiras devem abrir os cordões à bolsa e dar esta vacina, especialmente se a criança tem menos de um ano. Os lactentes são os mais afectados por esta doença, logo, são os que mais beneficia com a sua prevenção.

Leitura complementar: Parecer da Sociedade Portuguesa de Pediatria sobre a Bexsero; Artigo sobre Meningite do Serviço de Pediatria do Hospital de Braga no EducarePerguntas e respostas do Center for Diesease Control and Prevention (em inglês); Doença Meningocócica Invasiva em Portugal - Relatório do INSA 2011.

36 comentários:

  1. Eu sou depenada pela indústria farmacêutica... lá terá que ser!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Já somos dois!!! e o problema é que nao sabemos até que ponto somos manipulados por essa industria...

      Eliminar
  2. Olá
    Tenho 2 filhos, uma menina com 28 meses e um menino com 6 anos. É possivel ainda dar a vacina aos 2?
    Obrigada
    Manuela Lopes

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. sim. veja no esquema vacinal e (claro!) fale com o pediatra/médico assistente.

      Eliminar
  3. Mas porque existe ainda tanto relutância por parte dos pediatras a prescrever? Não fiquei com a ideia que fosse apenas por causa do preço. Será que me consegue esclarecer?
    obrigado

    ResponderEliminar
  4. Tenho um filho com 30 meses, gostava de ter a sua opinião.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. não posso dizer mais do que escrevi, porque depende da disponibilidade financeira de cada um...

      Eliminar
  5. A pediatra dos meus filhos receitou a Prevenar composta por 3 tomas, aos 2, 4 e seis meses mais uma quarta de reforço aos 13 meses. A mais velha terminou o processo completo, pois tem 20 meses, o mais novo com quase 4 meses vai agora fazer a segunda toma. Pergunto, portanto se esta Prevenar substitui, ou não, a BEXSERO?

    ResponderEliminar
  6. Bom
    Dia... A pediatra dos meus filhos falou sobre esta tvacina... Mas aconselhou me a esperar... Secalhar pela revisão do plano de vacinação que nunca mais sai... Mas vou falar com ela novamente... Obrigada

    ResponderEliminar
  7. Obrigada pela informação. É extremamente útil.

    ResponderEliminar
  8. Gostava apenas de acrescentar que já se encontra disponível o PNV em vigor desde 01.Out.2014 (http://www.portaldasaude.pt/portal/conteudos/informacoes+uteis/vacinacao/vacinas.htm) e apenas contempla a vacina da meningite C.
    Obrigada por abordar este tema!

    ResponderEliminar
  9. Tenho medo do efeito secundário Síndrome de Kawasaki...

    ResponderEliminar
  10. Olá João,
    Tenho 3 filhos com 8, 14 e 17 anos. Custos à parte, aconselha a Bexsero para estas idades?
    Obrigada.

    ResponderEliminar
  11. Infelizmente tenho o mesmo receio da Neusa Silva... há efeitos secundários graves cuja frequência é bastante superior à da própria meningite...

    ResponderEliminar
  12. Helena, minha nossa. Onde viu isso?? Quem lhe disse? Não há efeitos secundários GRAVES cuja frequência é bastante superior à doença que a vacina previne. Não há! Há efeitos MENORES, provavelmente superiores à incidência de algumas doenças, como por exemplo, febre ou inchaço na zona de injecção. Efeitos que desaparecem tal como aparecem. Raramente há outros efeitos secundários. A percentagem é mínima. Quanto à Síndrome de Kawasaky, é uma vasculite rara que pode acontecer em qualquer altura e o seu aparecimento não está completamente estudado. Pode haver predisposição genética mas continuamos no campo das suposições. Como é uma doença rara, é ainda mais rara ser causada pela administração de vacinas. Vacinar é importante. Os progressos feitos com a vacinação são surpreendentes e deixar de vacinar é um enorme retrocesso e um perigo para a saúde pública. Neste caso em concreto, a única desvantagem é mesmo o custo da vacina em questão. E aí entendo que um pai opte por não vacinar ou não possa vacinar a sua criança. Ninguém manda nem pode mandar na carteira de ninguém. Uma dica, que também entendo não ser legítima para todas as pessoas: o Natal está à porta. Os miúdos pequenos, sobretudo bebés, não ligam a brinquedos caros. Um caixote e uma colher de pau são surpreendentes na hora de brincar. Quando a família perguntar o que dar ao pequenote, respondam que querem vacinas. :) Vi há tempos um programa que desmistificava o medo da vacinação. Deixo-vos um excerto que permite demonstrar o perigo da não vacinação. Enquanto pais, tudo e qualquer coisa nos assusta. Eu tenho uma bebé e só o simples facto de lhe cortar as unhas dos pés me faz suar. Temo sempre 'decapitar-lhe' um dedinho, mas nem por isso a vou deixar andar com 'garras'. No momento em que temos um filho, ganhamos suspense e um coração na boca para a vida toda. Felicidades! :)
    https://www.youtube.com/watch?v=RfdZTZQvuCo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. mto bem falado,para mim é precisamente a mesma maneira de pensar tenho um filhote c 3 anos e tem todas as vacinas em dia,pertencentes ou n ao plano...é importante vacinar para erradicar doenças! ;)

      Eliminar
  13. Acabei por dar a esta vacina à mnha filhota. Os efeitos secundários não foram nada de especial... Ficou com o local da "pica" um bocadinho vermelho e teve febre no dia seguinte com alguma irritabilidade à mistura. Afinal, é uma vacina normal! :-p

    ResponderEliminar
  14. O meu filho tem 5 anos e já levou a segunda dose, o unico sintoma foi o braço vermelho e inchado pois a pediatra receitou e fiz o q pediu, não queremos o melhor para os nossos filhos então temos q fazer este grande esforço

    ResponderEliminar
  15. Penso que também é importante referir que a Sociedade Portuguesa de Pediatria recomenda a administração desta vacina.Já dei a primeira dose ao meu filho (21m) e para além de um pico de febre de um 1 dia, ficou com o braço muito inchado, quente e duro, apesar de, aparentemente não ter dores. Passou passados 3 dias. Quanto às promessas de revisão do PNV, só mesmo acreditando em milagres. Se nem a Prevenar está incluída ainda... (nota - A Direção-Geral da Saúde não tem Presidente, mas sim Diretor-Geral.)

    ResponderEliminar
  16. Aconselho a informação desta página: http://www.omelhordomundo.org/#!vacinas-extra/ciov

    Em 2012 foram notificados em Portugal cerca de 40 casos de Meningite B ans crianças até aos 4 anos... muito pouco. Pensando friamente: quantas crianças em 2012 é que sofreram acidentes de viação? Ou lesões por estarem sentadas numa cadeira não adequada? Não será muito mais eficaz gastar o dinheiro numa cadeira (por exemplo) do que numa vacina???

    Há que pensar nestas coisas com a cabeça.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. pois é...mas se umas dessas 40 crianças for a sua filha ou for uma criança que frequente a creche da sua filha vai ficar a pensar porque não a vacinou.

      Eliminar
    2. Em 2012 morreram penso que 48. Crianças em acidentes viação incluindo atropelamento, logo falamos de gastos na mesma ordem de grandeza.....

      Eliminar
  17. La terá que ser!!!! Amanha vao os gemeos de 7 anos tomar a primeira dose. Depois vai ser a irmã de 10 anos, daqui a dois meses repete-se!!! contas feitas são 500 euros que vao para a NOVARTIS!!!

    ResponderEliminar
  18. Então e as quantidades de alumínio contidas nas vacinas? Substituíram o mercúrio por alumínio, que causa problemas neurológicos. Isso não vos assusta?

    ResponderEliminar
  19. Eu dei a vacina nos meus 2 filhos um bebe de 18 meses e na menina de 6 anos, ele só teve febre baixa, já ela ficou mesmo muito mal nunca tinha visto minha filhota tão embaixo e olhe que ela é do tipo de criança que nunca fica doente fiquei assustada pois ela passado algumas horas após a vacina começou a ter os sintomas da doença febre alta com medicação de 4 em 4 hrs e mesmo assim não lhe tirava a febre, dores fortes na cabeça, dor nas vista não conseguia olhar para televisão, dores no corpo e falta de apetite estes sintomas duraram 3 dias isso foi no final de semana estava sendo acompanhada pela linha de saude24, ao final do prazo dado por eles se ela não melhorasse ia leva-la ao hospital ela teve uma melhora, mas com isso não tive coragem de lhe dar a 2ª dose só dei no meu bebe. Agora pergunto se devo ou não dar a 2ª dose nela estou apavorada tenho medo de dar e ela ter os mesmos sintomas ou pior, por outro lado tenho medo de não dar e ela correr o risco de apanhar esta doença.

    ResponderEliminar
  20. O Pediatra das minhas filhas não falou no assunto na última consulta há cerca de um mês. Telefonei a perguntar e ele aconselhou a vafinal mas, apenas uma dose! Faz sentido dar apenas uma dose?

    ResponderEliminar
  21. O Pediatra das minhas filhas não falou no assunto na última consulta há cerca de um mês. Telefonei a perguntar e ele aconselhou a vafinal mas, apenas uma dose! Faz sentido dar apenas uma dose?

    ResponderEliminar
  22. Olá o meu filho tem 5 anos e ele ontem levou 2 vacinas, mas hoje ele aparece com o braço esquerdo muito vermelho duro e com inchaço, o que é que eu faço será normal..

    ResponderEliminar
  23. Ariane Brand, Pediatra/ clínica Familiaritas

    Na minha população infantil já administrei cerca de 2000 doses de Bexseo, incluindo os meus 3 filhos. Não tivemos uma única reacção grave. Os casos recentemente descritos de morte infantil dias após a administração da vacina ocorreram em crianças com doenças subjacentes pelo que sabemos até a data.
    Os serotipos prevalentes em Portugal, neste momento são a B em primeiro lugar e depois as estripes africanas, X e W135. O serotipo C está praticamente em extinção graças as vacinas.
    Quanto ao mercúrio nas vacinas já há muito, aquela quantidade mínima que ainda se mantém nas vacinas, foi substituida por mercurio hidrosolúvel, ou seja inócuo e excretado pelo rim. Não pode causar qq doença neurológica.
    O alumínio faz parta da composição do nosso próprio corpo e existe nas vacinas em doses ínfimas. Basta usar os desinfectantes habituais ou comer peixe do mar que ultrapassa as quantidades contidas nestas vacinas centenas de vezes.
    Não vacinar é como mandar uma criança conta um gladiador. A criança pode ser supersaudável e robusta, e o gladiador fraquinho, a criança vai sucumbir sem duvida, e sobreviverá apenas se o gladiador for muito bomzinho!
    Vacinas são o único seguro de vida eficaz que existe, e já agora preferem apoiar a indústria farmacêutica na compra de antibióticos, cujo existo é dúbio e que tem provavelmente mais efeitos colaterais do que as vacinas? Pensem!
    Quem conheçe as doenças teme as doenças e não as vacinas!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Refrescante e informada, esta sua resposta. Obrigada.

      Eliminar
  24. Bom dia, Dr.
    Vivo em Angola e o meu filho foi vacinado com a menactra aos 9 meses. Faz parte do plano de saúde, se não estou em erro.
    Gostaria de saber se, tendo apanhado já a vacina da menactra, precisa também de apanhar a Bexsero.
    Muito obrigada.

    ResponderEliminar
  25. Boa tarde Dr.
    Os seus 2 filhotes levaram esta vacina?
    Obrigado.

    ResponderEliminar